Sobre a Rampa da Falperra

Descendente da Rampa de Braga, que em duas edições (1927 e 1931) tomou o pulso ao gosto dos bracarenses pelos automóveis, a Rampa da Falperra nasceu verdadeiramente em 1950, abarcando já quatro gerações de prova. A primeira contou apenas com três edições – 1950, 1951 e 1960 -, sendo que as duas primeiras decorreram sob a égide do ACP e a última reuniu o esforço de cinco clubes (EVS, Arte e Sport, Académico do Porto, Sport Comércio e Salgueiros e FCP). Depois foi preciso esperar 16 anos, até à época em que o Clube Automóvel do Minho passou a organizador e que Clemente Ribeiro da Silva (Opel Commodore) inaugurou uma lista de nomes importantes que compõem o livro de ouro da prova.

Desde 1976 que a rampa assumiu o mesmo trajeto, mas só em 1978 passou a gozar de um estatuto internacional, altura em que começou a concentrar nomes grandes do automobilismo nacional como António Barros, Joaquim Moutinho, Rufino Fontes, Jorge Petiz e o espanhol Alberto Gonzalez, que a ganhou por três vezes. 1981 é o primeiro ano ‘cinzento’ na história da rampa, que por falhas organizativas (falta de regulamento em francês que condicionou a participação dos pilotos estrangeiros e inviabilizou a subida de monolugares, para além da caricata situação de um piloto – o carismático Rui Lages – ser também oficial de prova) motivaram uma suspensão do clube organizador de 60 dias.

Mas nessa altura já ninguém podia travar o sucesso da Falperra. Nos anos seguintes, nomes grandes como António Rodrigues, Manuel Fernandes, Pêquêpê, Mário Silva ou Artur Mendes ajudaram a elevar a prova do CAM com prestações de luxo. É então que, em 1984, a Falperra tem pela única vez duas edições no mesmo ano, a segunda das quais para candidatar a prova ao Campeonato Europeu de Montanha. Com a integração no CEM, os pilotos estrangeiros passaram a assumir o protagonismo – Andres Vilariño (cinco vitórias), Mauro Nesti (quatro triunfos), Rudiger Faustman e Franz Tschager (ambos com três vitórias) –, fruto das melhores montadas com que se apresentavam à partida, deixavam os portugueses numa competição interna.

A qualidade da rampa, que por esta altura já ia na sua terceira geração, abria também oportunidades promocionais importantes com a chegada das transmissões diretas pela televisão estatal, ao ponto de os organizadores serem obrigados a declinar patrocínios por falta de espaço! Ironicamente, foi a sua ausência da RTP – que em 2001 interrompeu as emissões diretas da prova – que precipitou o final do seu terceiro e penúltimo capítulo. Aficionados da rampa ainda arrecadaram cerca de 100 contos (€ 500) para entregar à organização em 2001, por forma a que a prova pudesse ter continuidade. Mas só em 2010 o CAM conseguiu reavivar um ícone que tornou a Falperra num popular cartão-de-visita da região e do país. É que até a Ferrari incluiu o traçado da Falperra no roteiro que sugere aos seus clientes italianos, a par de outras estradas emblemáticas da Europa.

In AutoSport ,5 Maio 2017
By José Luis Abreu

Sobre a cidade de Braga

Braga

Braga é uma cidade de enorme beleza e riqueza patrimonial, que alia a tradição à inovação, a memória à juventude, a criatividade ao conservadorismo.
Com mais de 2000 anos de uma história riquíssima, possui um dos Sacro-Montes mais antigos de toda a Europa e porta-estandarte da região Minhota, o Bom Jesus. É em Braga que se encontra a mais antiga Catedral de Portugal e a Casa-Mãe dos beneditinos, o Mosteiro de Tibães.
Braga apresenta lugares que, pela sua intrínseca devoção e beleza, se impõem como marcos de obrigatória referência e visita. O Santuário do Sameiro, o Bom Jesus e a Falperra, assentando numa apelativa base religiosa, rodeiam-se de extasiantes espaços verdes e paradisíacas paisagens.
O legado romano é outro dos fatores atrativos de Braga, frequentemente apelidada de ‘Roma Portuguesa’, fruto da sua origem na cidade romana de Bracara Augusta. Conhecida pelas suas distintas igrejas, esplêndidas casas do século XVIII, jardins, parques e espaços de lazer. A longa história de Braga é visível em todo o esplendor dos seus monumentos, museus e igrejas.
Visitar Braga é fazer uma viagem no tempo dentro da modernidade. Cidade antiga e de religiosidade tradicional – sempre imponente na sua riqueza e majestade – vive de mãos dadas com o empreendedorismo e espírito jovem em áreas tão vitais como a cultura, o comércio, a gastronomia, a indústria e os serviços.
Desfrute de Braga! Daqui parta à descoberta do Gerês, do Norte de Portugal e da Galiza, mas volte… Volte porque aqui está perto de tudo.
Em Braga, sinta-se bem, nesta terra tão acolhedora, próxima, distinta e completa!

Esperamos vê-lo por aqui e a falar sobre nós!

Cidade de Braga

 

 

 

 

 

 

Vídeo Cidade de Braga

Patrocinadores Rampa da Falperra

Rampa da Falperra

A Rampa da Falperra é uma das mais icónicas provas de montanha da Europa e reconhecidamente o ex-libris do Clube Automóvel do Minho.

Contacte-nos

Clube Automóvel do Minho

Morada:

Edifício Stock-Car, Entrada Ford 1º Andar,
Cabanas-Dume,
Apartado 199
4711-911 Braga - Portugal

cam@camminho.com

+351 925 899 665
+351 253 300 450